Skip to content

Introdução à Metodologia da Ciência Javier Echeverria

by em Junho 15, 2012

Uma teoria é científica se pode ser falsificada por meio de experiência (no caso das teorias empíricas) ou por meio do seu caracter internamente contraditório (no caso das teorias lógicas e matemáticas). (…)

Aquilo que não versa sobre a experiência e que não é falsificável por ela pode perfeitamente ter sentido, mas não é científico. Popper não acusou a metafisica clássica, nem, de um modo geral, a religião, a poesia ou a arte de ausência de sentido, como fizera o Círculo de Viena (…). O que acontece é que, entre os enunciados empíricos que têm sentido (por exemplo, “surgirá no céu uma bola de fogo” e “o cometa Halley aparecerá no ano de 1986”), o primeiro é falsificável e o segundo, sim, nessa medida, só o segundo é um enunciado científico. (…)

Um enunciado universal do tipo “todos os homens são mortais” nunca poderá ser comprovado experimentalmente, por muitos que sejam os casos singulares em que, com efeito, se certifique que morreu um certo individuo particular. Em contrapartida, é muito fácil refutar o mesmo enunciado através da experiência. Bastaria mostrar que determinado homem não morreu (…). Nessa medida, o enunciado universal em causa é plenamente aceitável por uma disciplina científica como a Biologia.

 

JAVIER ECHEVERRIA (2003), Introdução à Metodologia da Ciência, Coimbra, Almedina, p.97

 

From → Ciência

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: