Skip to content

Propriedade

by em Dezembro 3, 2011

Ainda que a Terra e todas as criaturas inferiores sejam comuns a todos os homens, assim mesmo todo o homem tem uma propriedade na sua própria pessoa: a esta ninguém tem direito senão ele. O trabalho de seu corpo, e de suas mãos, é propriamente seu. Por isso, tudo aquilo que ele tira do estado que a natureza lhe deu, empregou para isso o seu trabalho, e ajuntou-lhe alguma coisa que é sua própria, por onde faz esse objecto propriedade sua: pois que tendo sido removido por ele do estado comum, em que a natureza o pôs, ele lhe ajuntou por meio de seu trabalho alguma coisa, que exclui o direito comum dos outros homens, porquanto sendo este trabalho uma propriedade indubitável do trabalhador, nenhum outro homem pode ter direito aquilo em que tiver entrado o seu trabalho pelo menos, onde há bastante, e igualmente bom, deixado em comum para os outros.

John Locke, Ensaio Sobre a Verdadeira Origem, Extensão e Fim do Governo Civil, Edições 70, Lisboa, 1999, pág 50.

From → 10º ano, Política

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: