Skip to content

John F. Nash

by em Abril 6, 2011

por: Ricardo Coelho, 11ºA

Nasceu a 13 de junho 1928 em Bluefield, Virgínia e foi lá educado. É um economista Norte-Americano que trabalhou na Teoria dos jogos, acabando mesmo por ser o vencedor do Prémio Nobel da Economia devido a esse trabalho. Os seus pais eram o engenheiro e electricista John Forbes Nash e Virginia Margaret Martin que era professora. A 16 de Novembro de 1930 sua irmã Martha Nash nasceu. Trabalhou ainda na Geometria diferencial e na Equação de derivadas parciais, servindo como Matemático Sénior de Investigação na Universidade de Princeton. Nash ficou ainda mais conhecido por ter tido a sua vida retratada no filme Uma Mente Brilhante. Aos doze anos, começou a realizar algumas experiências científicas no seu quarto, nessa época, era bastante evidente o seu gosto pela solidão, pois preferia fazer as coisas sozinho do que estar em contacto e trabalhar em grupo. Relacionou a rejeição social dos seus colegas com piadas e superioridade intelectual, acreditando que as danças e os desportos deles eram uma distração a partir de suas experiências e estudos. Já Martha, a sua irmã mais nova, parece ter sido uma criança normal. Andava no Colégio de Bluefield, no secundário. Mais tarde, frequentou a Universidade Carnegie Mellon, em Pittsburgh, Pensilvânia, onde estudou primeiramente engenharia química, antes de mudar para o curso de matemática. Após a sua formatura, trabalhou  num projecto da Marinha dos Estados Unidos da América.

Formulou algumas teorias. Uma delas, permitiu-lhe ganhar o Prémio Nobel da Economia em 1994. Essa teoria denomina-se: Teoria dos Jogos. É um ramo da matemática que estuda situações estratégicas onde os jogadores escolhem diferentes acções na tentativa de melhorar o seu retorno. É utilizada, na economia, na política, na guerra e caracterizada, como nos jogos, por conflitos de interesse determinando a melhor estratégia para cada jogador. A teoria tem a finalidade de prever os movimentos dos outros jogadores, sejam eles concorrentes ou aliados, através dela os jogadores posicionam-se da melhor forma para obter o resultado desejado. O objectivo da teoria dos jogos é entender a lógica na hora da decisão e ajudar a responder se é possível haver colaboração entre os jogadores, em que circunstâncias o mais racional é não colaborar e quais estratégias devem ser adoptadas para garantir a colaboração entre os jogadores. A teoria, por meio da matemática, equaciona os conflitos, onde o foco são as estratégias utilizadas pelos jogadores. John F. Nash percebera que os jogos de duas pessoas de soma zero, estabelecidos não tinham praticamente nenhuma ou mesmo nenhuma importância para o mundo real. Até mesmo na guerra há, quase sempre, algo a ser obtido da cooperação. Jogos cooperativos são aqueles em que os jogadores podem fazer acordos forçados com outros jogadores. Por outro lado, nos jogos não-cooperativos isso não é possível.  Dessa forma, é ampliada a teoria para incluir jogos que envolvam uma mistura de cooperação e competição. Assim, o equilíbrio estava na situação em que nenhum jogador poderia melhorar sua posição escolhendo estratégia alternativa disponível, sem que isso um bom resultado. Nash provou que, para uma determinada categoria muito ampla de jogos com qualquer número de jogadores, existe pelo menos um ponto de equilíbrio, desde que sejam permitidas estratégias mistas.

A teoria é usada para estudar assuntos tais como eleições, leilões, evolução genética, etc…  Algumas pessoas acreditam que a teoria dos jogos formará em algum dia o alicerce de um conhecimento técnico estrito de como as decisões são feitas e de como a economia funciona. O desenvolvimento da teoria ainda não atingiu esse patamar e, hoje, a teoria dos jogos é mais estudada nos seus aspectos matemáticos puros e, em aplicações, sendo usada como uma ferramenta ou alegoria que auxiliam no entendimento de sistemas mais complicados. Teve várias consequências positivas, no desenvolvimento da descoberta de resoluções a problemas. Esta teoria teve enormes repercussões, desde a estratégia nuclear até aos avanços na inteligência artificial, cibernética e computação. Sendo por isto esta teoria bastante importante, influenciando de forma activa em várias áreas. Tornou-se um ramo proeminente da matemática. Distingue-se na economia na medida em que procura encontrar estratégias racionais em situações em que o resultado depende não só da estratégia própria de um agente e das condições de mercado, mas também das estratégias escolhidas por outros agentes que possivelmente têm estratégias diferentes ou objectivos comuns. Os resultados da teoria dos jogos tanto podem ser aplicados a simples jogos de entretenimento como a aspectos significativos da vida em sociedade. Um exemplo deste último tipo de aplicações é o Dilema do prisioneiro, podendo também ser utilizada pelos biólogos que a utilizam para compreender e prever o desfecho da evolução de certas espécies. Sendo assim ela preponderante em várias áreas.

One Comment
  1. Bruno Santos Barradas da Conceição permalink

    Este grande homem serve como a pricipal fonte de expiração para qualquer matemático.Gostaria muito de poder conhecer suas obras científicas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: